quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Movimento de Pescadores e Pescadoras reivindica mudanças no MPA


Grupo encontra-se agora no Palácio do Planalto para audiência com a secretaria geral da presidência


Agora pela manhã, chegou ao palácio do planalto o Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP) para audiência com a secretaria geral da presidência. O grupo traz reivindicações e denúncias buscando pressionar o Estado por mudanças no Ministério da Pesca e Aquicultura, que historicamente vem invizibilizando as populações pesqueiras do país. 

"O MPA só faz a produção das carteiras dos pescadores. Isso é uma vergonha. Porque na verdade o ministério da pesca não é um ministério para a população, é um ministério que serve como aparelho eleitoral. É isso que estamos denunciando", discursa o MPP.  

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Pescadoras e pescadores de todo país estão reunidos em Brasília para o Seminário Nacional da Campanha pelo Território Pesqueiro

Por assessoria de comunicação do CPP Nacional

Pescadores e pescadoras artesanais de todo país estão reunidos em Brasília para o Seminário Nacional da Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras, que acontece até a próxima quarta-feira, 19. O encontro é uma iniciativa do Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP) e pretende intensificar as discussões que envolvem a pesca artesanal no Brasil.

Os debates acontecem desde segunda-feira (17) e contam também com o apoio de organizações e pessoas parceiras. Dentro das discussões, os participantes analisaram a conjuntura política da pesca artesanal e o processo pelo qual passa um projeto de lei de iniciativa popular. Além desses pontos, foi posto a trajetória da Campanha pelo Território Pesqueiro em dois anos de lutas.

Ainda no dia 17, compondo a programação do Seminário, aconteceu o lançamento do documentário Vento Forte, que aborda os conflitos socioambientais em comunidades pesqueiras. Apoiado pelo Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP) e parceiros, o filme traz as diversas violações aos direitos humanos que atacam as populações pesqueiras.

Hoje, o movimento vem discutindo o projeto de lei da Campanha e pensando estratégias e ações políticas para a causa.

Confira também:

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Documentário sobre conflitos socioambientais em comunidades pesqueiras será lançado em Brasília

Por assessoria de comunicação do CPP Nacional 


“Vento Forte” foi o título dado ao documentário realizado pelo Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP) que aborda as situações de ameaça das comunidades pesqueiras do Brasil. O filme, produzido pela Arte e Movimento, será lançada no próximo dia 17, às 19h30, na sede da CNBB, em Brasília. A ocasião contará com uma mesa de abertura onde estarão presentes o secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, o presidente da Comissão das Pastorais Sociais da CNBB (Comissão e Serviço da Caridade, da Justiça e da paz), Dom Guilherme Werlang, a procuradora da 6º Câmara do Ministério Público Federal (MPF) – Para a defesa dos Direitos das Comunidades Tradicionais, Débora Duprat, e os integrantes do Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP), Marizelha Carlos Lopes e Josemar Durães. 

São diversos os conflitos socioambientais que envolvem as comunidades pesqueiras; a aquicultura empresarial, o turismo predatório, a pesca industrial e os grandes empreendimentos compõem parte dessas ameaças que negam os direitos das populações tradicionais. É inspirada nessa temática que “Vento Forte” levanta diversos casos em todo Brasil deixando clara a necessidade da reflexão acerca da importância dos pescadores e das pescadoras artesanais para o país, e a urgência em debater as problemáticas que atingem seu modo de vida. 

“Este vídeo visibiliza a situação de ameaça que vivem as comunidades pesqueiras no Brasil. Ele demonstra os graves impactos do modelo desenvolvimentista que ameaça  o modo de vida das comunidades e que destroem o meio ambiente, colocando em risco toda sociedade e prejudicando as gerações futuras. Explícita ainda as situações de violação de direitos humanos que vivem estas comunidades e suas lideranças. Esse será um instrumento de divulgação e denúncia aos órgãos competentes em fóruns nacionais e internacionais”, comenta a secretária executiva do CPP, Maria José Pacheco.  

Serviço:

O que: lançamento do documentário “Vento Forte” sobre os conflitos socioambientais em comunidades Pesqueiras.

Quando: 17 de novembro, às 19h30.

Onde: Salão Dom Helder Câmara, sede da CNBB. SES, Setor de Embaixada Sul, 801. Conjunto B. Brasília/DF.   

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Campanha pelo Território Pesqueiro terá momento estratégico em Brasília

Entre 17 e 19 de novembro, a Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras irá reunir em Brasília o MPP e seus parceiros para o Seminário Nacional da Campanha. O momento fará um balanço sobre a trajetória da luta pelo território pesqueiro até o momento e traçará rumos políticos e estratégicos para a causa. 


terça-feira, 4 de novembro de 2014

MPP inicia curso de formação com lideranças

Por assessoria de comunicação do CPP Nacional


A formação busca qualificar   a atuação do movimento de pescadores em todo Brasil

Começou hoje pela manhã, em Olinda/PE, a primeira etapa do curso de formação do Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP). Com o objetivo de fortalecer o movimento, a formação acontecerá até sábado e trará debates sobre a organização do MPP e trabalhará a qualificação de suas lideranças. A iniciativa é vista como uma estratégia fundamental para potencializar a luta por mais vida e dignidade nas comunidades tradicionais pesqueiras.

“Formação é sempre importante, ela promove a qualidade da nossa ação, principalmente na discussão política. Ela significa o nosso fortalecimento. O movimento sempre vai precisar de formação, a gente tem a necessidade de fortalecer nosso discurso”, comenta a pescadora artesanal e liderança de Ilha de Maré, Bahia, Marizelha Lopes (Nega).

O momento também abrirá espaço para serem discutidas ações relacionadas à Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras, importante instrumento para a luta de pescadores e pescadoras artesanais de todo Brasil. 

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Pescadores quilombolas de ilha de Maré/BA ocupam estação de exploração de petróleo da Petrobrás

Pescadores reivindicam direitos e políticas públicas. 

Por MPP Brasil 

Hoje, 27 de outubro, cerca de 200 pescadores e pescadoras quilombolas de Ilha de Mare (Salvador, BA), moradores das comunidades de Porto de cavalos, Martelo, Ponta Grossa, Maracanã, Bananeiras e Praia Grande estão mobilizados em frente a estação de petróleo  (sonda de perfuração de petróleo)localizada na comunidade de Martelo.

A população pretende intensificar a jornada de luta e paralisar a estação até que sejam efetivados os projetos de compensação sócio-ambiental pela Petrobras. Há mais de 50 anos a empresa explora petróleo na Ilha sem dá devida compensação às comunidades diretamente impactadas.

"Estamos cansadas de exploração e degradação ambiental. Todos os dias vemos a Petrobras extrair grande quantidade de riqueza da nossa ilha e nós ficamos abandonados, sem nenhum tipo de politica de compensação social e ambiental. Não deixaremos de lutar! Vamos nos mobilizar até que nosso grito seja escutado e nossos direitos sejam respeitados!", declara a pescadora da Ilha, Eliete Paraguaçu.

Foto: Blog JCMeioAmbiente

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Na semana da padroeira do Brasil, pescadores e pescadoras levaram a Campanha pelo Território Pesqueiro à Terra Santa

Por assessoria de comunicação do CPP Nacional

MPP distribui pontos de coleta de assinaturas pela Basílica de Aparecida
Entre os dias 8 e 12 de outubro, o Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP) esteve na cidade de Aparecida, São Paulo, com a Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras. A simbologia do período remota aos pescadores que, no ano de 1717, encontraram a padroeira do Brasil nas águas do rio que banha o município, o Paraíba. Se apropriando desse fato histórico, o movimento fez um esforço conjunto para coletar assinaturas em prol do abaixo-assinado da Campanha, além de participarem de atividades religiosas da ocasião em homenagem à Santa negra.  
Grupo de pescadores em de programa da TV Aparecida

Com o apoio do Santuário de Aparecida, os pescadores e pescadoras colocaram três espaços para a coleta de assinaturas espalhados pela Basílica.  Foram quatro dias perpetuando a mensagem da Campanha e sensibilizando fiéis de diversos estados do país para a causa da defesa do território pesqueiro tradicional.

Além da coleta de assinaturas, o movimento ainda se envolveu com outras atividades no período. Na manhã do dia 10, um grupo com quatro integrantes do MPP participou de um programa televisivo da TV Aparecida, transmitido para todo o Brasil. Nele, os pescadores pediram as bênçãos de Nossa Senhora Aparecida  para a Campanha e tiveram um espaço para divulgar a causa.

Já no sábado dia 11, o grupo visitou o Rio Paraíba em um momento de conhecimento histórico e de simbologia forte para as comunidades pesqueiras. No mesmo dia, a Basílica abriu espaço para que uma missa fosse realizada com o mote da Campanha.

Os dias em Aparecida fortaleceram e motivaram a luta em defesa do território pesqueiro. "Aqui percebemos  a força que temos juntos, conseguimos não só mais assinaturas para o abaixo-assinado, mas mostramos para as pessoas a existência de nossa causa. Nesse caminho, teremos mais fé e esperança para a conquista da regularização de nosso território", comentou uma integrante do MPP. 

MPP visitou o Rio Paraíba
Veja mais fotos do período em nosso flickr, clique aqui.